Um drama revivido

por ANA LUIZA COELHO | Especial/DC

Quando alemães fundaram Blumenau, em 1850, estranharam a preferência dos índios pelas partes mais altas da região. Os novos habitantes foram morar perto do Rio Itajaí-Açu, área próspera para a agricultura. Dois anos depois, ao sofrerem com a devastação provocada pelas enchentes, os imigrantes entenderam as razões dos indígenas. Uma nova catástrofe aconteceu em 1911.

Mas nenhuma inundação provocou tantos estragos na cidade quanto a de 1983. Imagens e relatos sobre a destruição, dramas, superação e solidariedade devem mexer com a memória e o coração dos espectadores do SC em Cena, a partir do próximo sábado, marcando os 25 anos das maiores enchentes de Santa Catarina.

Reunindo cenas inéditas de resgates, o documentário Enchentes de Blumenau tem roteiro e direção de Diego Lara e Flávio Roberto, da Tac Produções. Gravações históricas foram cedidas pelo Arquivo da RBS TV (maior banco de imagens de televisão de SC) e pelo 23º Batalhão de Infantaria de Blumenau, que trabalhou muito para salvar vidas e socorrer famílias isoladas na região.

Mais de 200 mil pessoas ficaram desabrigadas e quase 70 morreram. Quem sobreviveu hesita em falar sobre as perdas, a fome, o frio, o desespero e a sensação de impotência.

– Lembrar disso me faz sofrer duas vezes – confessou uma senhora que teve a casa arrastada pela água.

Evocar memórias tão dolorosas foi, segundo Diego, o maior desafio da equipe. Avessos ao sensacionalismo, os diretores privilegiaram os depoimentos, mas tiveram a preocupação de não carregar na emoção dos entrevistados.

Flávio conta que, para “equilibrar o tom”, Enchentes de Blumenau começa com linguagem lúdica.

– No início pensamos em usar mais trechos de ficção, mas a força das imagens reais prevaleceu – revela o diretor.

O primeiro episódio, A Fúria das Águas, explica as causas das inundações no Vale do Itajaí, em especial a de 1983, na visão de meteorologistas, autoridades da época e moradores. Todos foram surpreendidos pela intensidade e pela rapidez da devastação em Blumenau e nas cidades vizinhas.

No segundo capítulo, A Força dos Homens, o destaque é para centenas de heróis anônimos: bombeiros, militares, policiais, radioamadores, gente comum que se arriscou para socorrer quem precisava.

Foram muitas demonstrações de solidariedade, do morador que hospedou desconhecidos ao nordestino que enviou donativos para Santa Catarina. O documentário revela ainda que medidas foram tomadas para que a região não seja surpreendida novamente pela força da natureza.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s